biblioweb | chat | glossário | faq | contato| espanol | english    
 
 
home


Aqui vocꡥncontra informa趥s b⴩cas sobre as principais express񥳠e conceitos utilizados no campo do cooperativismo popular.

Assemblꪡ Geral:
ɠo 󲧣o m⹩mo da sociedade cooperativa, responsⷥl pelas decis񥳠de interesse do empreendimento. As delibera趥s desta assemblꪡ devem ser acatadas por todos os cooperados, inclusive os ausentes e/ ou discordantes, privilegiando sempre o interesse coletivo. A assemblꪡ pode ser convocada pelo Diretor-Presidente da cooperativa, ou por qualquer dos 󲧣os de administra褯 (que constarem do Estatuto da Cooperativa), pelo Conselho Fiscal, ou, ap󳠳olicita褯 n䯠atendida, por 1/5 dos associados em pleno gozo dos seus direitos (artigo 38, Ǡ2ڠda lei 5764/71). Ela serᡣonvocada com anteced믣ia mma de 10 dias, em primeira convoca褯, atrav고de editais afixados em locais apropriados das depend믣ias mais freq𥮴adas pelos associados, atrav고de publica褯 em jornal e atrav고de comunica褯 aos associados por intermꥩo de circulares (artigo 38, Ǡ1ڠda lei 5764/71). A assemblꪡ serᡣonstitu pela reuni䯠de pelo menos 2/3 do n򭥲o de associados, em primeira convoca褯; pela metade mais um dos associados, em segunda convoca褯 e pelo mmo de 10 associados na terceira e 򬴩ma convoca褯 (artigo 40, incisos I, II e III da lei 5764/71). A segunda e terceira convoca褯 s󠯣orrer䯠se estiverem previstas no estatuto da cooperativa e no edital de convoca褯, sendo observado o intervalo mmo de uma hora entre a realiza褯 destas. A assemblꪡ pode ser extraordin⳩a ou ordin⳩a.

Assemblꪡ Geral Extraordin⳩a:
Realizada sempre que necess⳩o, a Assemblꪡ Geral Extraordin⳩a 页m importante instrumento de gest䯬 permitindo que assuntos emergenciais possam ser tratados com a devida urg믣ia. Temas que merecem aten褯 especial, tais como reforma do estatuto; mudan衠do objeto da sociedade; fus䯬 incorpora褯 ou desmembramento da cooperativa; dissolu褯 volunt⳩a da sociedade e nomea褯 de liquidantes; contas do liquidante s䯠pautas exclusivas dessa Assemblꪡ. Cabe lembrar, no entanto, que a Assemblꪡ Geral Extraordin⳩a pode deliberar sobre quaisquer assuntos de interesse da cooperativa, desde que mencionados no edital de convoca褯.

Assemblꪡ Geral Ordin⳩a:
Realizada, obrigatoriamente, pelo menos uma vez por ano, no decorrer dos 3(tr볩 primeiros meses ap󳠯 t곭ino do exerco social, 顲esponsⷥl pelas delibera趥s relativas a temas como: aprova褯 da presta褯 de contas dos 󲧣os da administra褯; destina褯 das sobras apuradas ou rateio das perdas; elei褯 e posse dos componentes da Diretoria e dos Conselhos quando findar o mandato; fixa褯 do valor dos honor⳩os e gratifica趥s dos membros da Diretoria e dos Conselhos, caso haja; entre outros assuntos de interesse da sociedade cooperativa. A data, hor⳩o, local e os assuntos que ir䯠ser deliberados na assemblꪡ dever䯠ser amplamente divulgados entre os s󣩯s da cooperativa, pelos mesmos meios utilizados para a divulga褯 da Assemblꪡ Geral.

Autogest䯺
Princo b⴩co do cooperativismo, o conceito de autogest䯠 se refere ao controle da cooperativa pelos seus associados, procurando ressaltar que as decis񥳬 encaminhamentos, dire褯 e patrim𮩯 de uma cooperativa 顤e responsabilidade dos mesmos. Busca-se enfatizar o carⵥr fundamentalmente democr⵩co e participativo da gest䯠cooperativista, na qual todos os cooperados devem estar envolvidos, elegendo seus representantes para os 󲧣os de administra褯, fiscaliza褯 e de 굩ca e participando das decis񥳠 em assemblꪡs. Trata-se de um modelo de gest䯠capaz de envolver todos os trabalhadores no processo decis󲩯 do empreendimento, fomentando o exerco cotidiano da cidadania, entendida como uma a褯 polca deliberativa voltada para o benefo da pessoa humana e da coletividade.

Conselho de ʴica:
Importante instrumento para gest䯠democr⵩ca, o conselho de 굩ca, em conjunto com o conselho fiscal, possibilita aos cooperados acompanhar a administra褯 da cooperativa durante toda uma gest䯮 A a褯 do conselho de 굩ca permite que assuntos relativos ࡣonduta e conflitos da dire褯 ou de qualquer cooperado possam ser resolvidos a medida que ocorram, garantindo o bom andamento das atividades da cooperativa. Formado pelos pr󰲩os cooperados, eleitos em assemblꪡ geral, o conselho de 굩ca tem o n򭥲o de seus conselheiros, titulares e suplentes, assim como o tempo de mandato, definidos no estatuto da cooperativa. Podendo ser convocado pela diretoria ou pelos cooperados sempre que houver casos a serem averiguados, sua fun褯 principal 顪ulgar os casos relacionados ࡩtica e disciplina do quadro social. O objetivo 顯rientar a diretoria na condu褯 de situa趥s em que haja desrespeito do estatuto e do regimento interno por parte dos associados, podendo recomendar puni趥s. Para tanto, 顦undamental que o conselho de 굩ca esteja previsto no estatuto social da cooperativa, jᡱue, de acordo com legisla褯 atual, sua exist믣ia n䯠頍 obrigat󲩡.

Conselho Fiscal:
Բg䯠responsⷥl pela fiscaliza褯 de toda administra褯 da cooperativa, com poder de convocar assemblꪡs sempre que detectar qualquer assunto que care衠da aprecia褯 e da decis䯠dos associados. ɠo conselho fiscal que fiscaliza a parte financeira e administrativa da cooperativa, aprova a presta褯 de contas anual, assim como assegura o cumprimento das decis񥳠das Assemblꪡ Geral Ordin⳩a e Extraordin⳩a, orientando o Conselho de administra褯 e/ ou a diretoria nos procedimentos corretos a serem seguidos. O conselho fiscal 顣omposto por cooperados e 顥leito em assemblꪡ geral. Seus integrantes n䯠 podem ter linha de parentesco direta com nenhum integrante da dire褯 da cooperativa e o n򭥲o de componentes, assim como o tempo de mandato, deve estar previsto no estatuto da cooperativa. ɠrecomendⷥl que o pero de mandato coincida com o da dire褯 e que a elei褯 de ambos ocorra de forma simult㯥a.

Cooperativas:
S䯠empreendimentos econ𭩣os formados pela associa褯 volunt⳩a de pessoas, visando o apoio m򴵯 de suas atividades. Trata-se de organiza趥s administradas e controladas democraticamente pelos pr󰲩os associados, que aceitam assumir, de forma igualit⳩a, os riscos e benefos do empreendimento. As cooperativas s䯬 a um s󠴥mpo, associa趥s de pessoas e empresas econ𭩣as, cujo objetivo, 顡 satisfa褯 das necessidades de seus s󣩯s/ cooperados e a promo褯 da cultura da cidadania.

Cooperativismo:
Ideologia criada por trabalhadores e intelectuais, em meados do sꤵlo XIX, na Europa, no 㮢ito das lutas contra a explora褯 do sistema capitalista que ora se implantava. Mais do que um sistema de produ褯 ou organiza褯 do trabalho, seus formuladores visavam um novo modelo de sociedade, onde a igualdade entre os seres humanos, a liberdade, a autogest䯠seriam elementos b⴩cos.

Cooperativismo Popular:
Movimento de trabalhadores formado por indivos pertencentes a setores economicamente exclus, desempregados ou que atuam no plano da economia informal. Com o objetivo comum de mobilidade e transforma褯 social, esses indivos encontram na associa褯 em cooperativas uma oportunidade de se organizarem, de terem acesso ao trabalho e de conquistarem direitos b⴩cos de cidadania. O Cooperativismo popular 顲egido pelo princo da coopera褯, pela pr⵩ca da autogest䯠e pela busca da composi褯 de alian袳 contra a exclus䯠social. Mais do que um modelo de organiza褯 econ𭩣a para subsist믣ia, trata-se de um movimento de luta para a transforma褯 da realidade e constru褯 de um modelo de desenvolvimento que combata as causas estruturais da pobreza.

Cota parte:
ɠa parte que cabe a cada cooperado na composi褯 do capital da cooperativa, representando a participa褯 financeira de cada cooperado no empreendimento. No caso dos associados n䯠poderem contribuir antes da forma褯 da cooperativa, o recurso para a forma褯 inicial da cooperativa poderᡳer recolhido mensalmente, a partir da primeira remunera褯 recebida pelo cooperado.

Estatuto Social:
ɠum instrumento "legal" b⴩co para a forma褯 de uma cooperativa, composto por um conjunto de normas que servem para estruturar administrativamente a cooperativa e disciplinar o seu funcionamento, estabelecendo tambꭠ os direitos e deveres dos cooperados. Formulado pelo conjunto dos associados, sua elabora褯 precede a formaliza褯 da sociedade, fazendo parte do processo de cria褯 da cooperativa. Com base nos anseios e na cultura do grupo, devem constar no estatuto social os objetivos da cooperativa, as regras para escolha de seus dirigentes, o tempo estipulado para o mandato, as fun趥s dos diferentes 󲧣os administrativos, as puni趥s aos desvios de conduta, as formas de julgamento, entre outras diretrizes essenciais ao bom funcionamento do empreendimento.

Regimento Interno:
Com fun褯 complementar ao estatuto social, 页m instrumento destinado a regulamentar a gest䯠da cooperativa, onde devem ser registradas, detalhadamente, as atividades da cooperativa e de seus 󲧣os, assim como as normas que as regulam. Sua elabora褯 deve ocorrer de forma similar a do estatuto social.

Incubadoras Tecnol󧩣as de Cooperativas Populares (ITCPs):
S䯠institui趥s destinadas a assessorar grupos de trabalhadores no processo de constitui褯 de uma cooperativa popular, assim como no acesso ao mercado, na elabora褯 de projetos, na defini褯 de processo e produto, no acompanhamento e na capacita褯 dos cooperados, na administra褯, no planejamento, na contabilidade, entre outras ⳥as importantes para a consolida褯 do empreendimento. Sua metodologia de trabalho baseia-se no assessoramento e na educa褯 cooperativista.